Ansiedade e angústia! Como enfrentá-las?

Dr. Nelson Pereira da Costa – Médico

Na vida cotidiana todos nós passamos por momentos de ansiedade e angústia. Estes são sentimentos considerados normais dentro de certos limites. Contudo, nos dias atuais em que vivemos, frequentemente nos encontramos diante de situações cheias de surpresas e incertezas. Os mais experientes nos dizem que O IMPORTANTE é administrarmos as diversas situações que se nos apresentam com calma e tranquilidade e, assim, tomar as decisões mais seguras e confortáveis.

É interessante notar que a Palavra de Deus se preocupa SIM com os nossos sentimentos. Em Filipenses capítulo 4, nos versículos 6, 7 e 19, lemos: v6 – Não estejais inquietos por coisa alguma: antes as vossas petições em tudo sejam conhecidas diante de Deus pela oração e súplicas, com ação de graças. v7 – E a paz de Deus, que excede todo entendimento, guardará os vossos corações e os vossos sentimentos em Cristo Jesus. v19 – O meu Deus, segundo as suas riquezas, suprirá todas as vossas necessidades em glória, por Cristo Jesus.

Ansiedade é o sentimento que nos aflora quando algo está em curso e prestes a acontecer. Por exemplo: para os estudantes é o dia da prova, para os noivos é o dia do casamento, para muitas outras pessoas é o dia do pagamento das diversas contas e assim por diante. Angústia é o sentimento que surge principalmente quando temos que tomar uma decisão importante! Para o jovem, por exemplo: qual profissão deve seguir, ou em outra situação: aceitar ou não “aquele” namoro. Em geral são situações nas quais existe uma dúvida e necessitamos de tomar uma decisão que seja a mais acertada possível. Muitos são os motivos que nos afligem e geram ansiedade e angústia. Enfim qual caminho deve-se seguir? Uma boa atitude para aumentar a segurança nas decisões é ouvir as orientações dos pais ou de um bom amigo principalmente sobre as questões e decisões mais importantes da vida.

Mas até que ponto esses sentimentos de ansiedade e angústia são considerados realmente normais?

Os indivíduos, diante de situações que lhes afligem no dia a dia e dependendo da intensidade destes sintomas, poderão desenvolver atitudes que geram sofrimentos físicos e emocionais como: irritabilidade, inquietude, insônia, hipertensão, entre outros.
Vejamos a sorte de duas pessoas que tiveram a paz “roubada” por um período de suas vidas. Uma senhora caiu em desespero após ficar sabendo que seu filho se envolveu com amizades estranhas e tornou-se viciado em drogas. Porém ela sabiamente e de modo perseverante pediu à igreja orações e veio a ser vitoriosa, obtendo a completa libertação do filho!

Já um cidadão que contraiu uma grande dívida, caiu em desespero, pois não podia pagá-la por ter perdido o seu emprego. Um dia, sem contar nada a ninguém, tomou a decisão de tentar suicídio, dando um tiro em sua própria cabeça. Veio a ser hospitalizado, esteve na UTI por vários dias e quase morreu. Mas recobrou todas as suas funções orgânicas, exceto que, devido a uma lesão cerebral irreversível decorrente do tiro, ficou completamente cego. Mais tarde, vendeu diversos bens que possuía e pagou a tal dívida! Neste caso, o que lhe faltou? Faltou-lhe: sabedoria, bons conselhos e certamente tomou a decisão infeliz de atentar contra a sua própria vida porque não contava com as providências divinas.

Outra questão é como fazer para se ter calma e tranqüilidade necessárias para uma decisão segura e confortável?
Na verdade, do que conhecemos a respeito do homem, desde o presidente da república até o mais humilde dos seres mortais, é que ele frequentemente encontra-se em dilemas de difíceis soluções.

A Bíblia nos traz uma série de mensagens que nos asseguram uma vida mais calma, tranquila e realmente mais confortável. No Salmo 91:1 – lemos que aquele que habita no esconderijo do altíssimo a sombra do onipotente descansará. Basicamente é uma questão de “SEGURANÇA”. Então, quando a incerteza bater no coração, não tenhamos dúvidas, busquemos em Deus uma orientação. O Hino 303 da HC nos diz: “Quando o sol brilhar em qualquer lugar, tu precisa de Jesus. Quando escurecer, tudo fenecer, tu precisa de Jesus”. Abrão e Ló, tio e sobrinho, encontravam-se diante de um dilema: cada um deles tinha uma grande fazenda e os pastores dos seus rebanhos já não se davam bem. Então, eles tiveram que se separar. Ló escolheu pelo que seus olhos puderam ver e optou para o lado da campina do Jordão e armou suas tendas até Sodoma, … e eram maus os habitantes de Sodoma, por isso teve muitos problemas.

Abrão por sua vez ficou em Canaã, onde viveu em paz!

Tratamento clínico e cirúrgico:

Receita do “Tratamento Clínico” – Tomar água fresca, manter a calma e a tranquilidade são fundamentais para enfrentarmos a maioria dos nossos desafios do dia a dia. Alimentar-se bem, dormir bem e fazer uma boa caminhada diária, tudo isso contribui para o nosso bem-estar e na diminuição dos sintomas de ansiedade e períodos de angústia. Cantar ou tocar um instrumento também podem aliviar estes sintomas. Por outro lado, tomando como base os casos e exemplos dados anteriormente vemos que o grau de segurança do indivíduo relacionado às suas decisões faz a diferença. Isto é, quanto maior a segurança nos seus “negócios” menor será a ansiedade e a angústia gerada e inversamente quanto menor a segurança maior a ansiedade e a angústia. O caminho certo é aquele em que nos sentimos mais seguros em decorrência de decisões mais bem acertadas. A arma do inimigo é gerar desiquilíbrio e desestabilização, isto é, ele é especialista em angústia (Isaías 51:13). Mantemos nosso equilíbrio, sobretudo pautados na Palavra de Deus.

As melhores recomendações são aquelas encontradas em:

Mateus 6: 25 – Não andeis cuidadosos quanto à vossa vida, pelo que haveis de comer ou pelo que haveis de beber; nem quanto ao vosso corpo pelo que haveis de vestir. Não é a vida mais do que o mantimento, e o corpo mais do que o vestido? 26 – Olhai para as aves do céu, que nem semeiam, nem segam, nem ajuntam em celeiros; e vosso Pai celestial as alimenta. Não tendes vós muito mais valor do que elas? 28 – …Olhai os lírios do campo, como eles crescem: não trabalham nem fiam; 29 – E Eu vos digo que nem mesmo Salomão, em toda a sua glória, se vestiu como qualquer deles. 31 – Não andeis, pois inquietos, dizendo: Que comeremos ou que beberemos, ou com que nos vestiremos? 32 – … de certo vosso Pai celestial bem sabe que necessitais de todas estas coisas; 33 – Mas buscai primeiro o reino de Deus e todas estas coisas vos serão acrescentadas.

I Pedro 4: 8 – Mas, sobretudo tendes ardente caridade uns para com os outros; porque a caridade cobrirá a multidão de pecados. 12 – Amados, não estranheis a ardente prova que vem sobre vós para vos tentar, como se coisa estranha vos acontecesse; 13 – Mas alegrai-vos no fato de serdes participantes das aflições de Cristo; para que também na revelação da sua glória vos regozijeis e alegreis. I Pedro 5: 7 – Lançando sobre ele toda a vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de vós. 8 – Sede sóbrios; vigiai; porque o diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar. 9 – Ao qual resisti firmes na fé, sabendo que as mesmas aflições se cumprem entre os vossos irmãos no mundo.

No Salmo 23: temos que O Senhor é o nosso Pastor, nada nos faltará. Deitar-nos faz em verdes pastos, Guia-nos mansamente às águas tranquilas!

“Tratamento Cirúrgico” – não existe um tratamento propriamente cirúrgico para a ansiedade e a angústia, a não ser que estes sintomas sejam gerados, por exemplo, por algum tumor cerebral ou em decorrência de trauma crânio-encefálico. Porém, muitas vezes necessitamos de uma interferência mais profunda em nossas vidas como a descrita em Hebreus 4:12 – Porque a palavra de Deus é viva, e eficaz, e mais penetrante do que espada alguma de dois gumes, e penetra até a divisão da alma e do espírito, juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e propósitos do coração. Portanto, capaz de resolver de modo inigualável todas as nossas grandes aflições que passamos em nossas vidas.

Conclusão: Lembremos que perto está o Senhor; que o homem sábio espera e confia em Deus, que o Espírito Santo deve nos guiar. A sabedoria que do alto vem é primeiramente pura, depois pacífica, moderada, tratável, cheia de misericórdia e de bons frutos (Tiago 3:17). No Salmo 37:5 lemos – Entrega o teu caminho ao Senhor, confia Nele e Ele tudo fará. No hino 141 da H.C. temos uma mensagem muito bonita:

Aonde guiar-me meu Senhor, eu seguirei por Seu amor,

é Sua mão que me conduz, por mim ferida lá na cruz.

Guia-me sempre, meu Senhor; guia meus passos, Salvador.

Tu me compraste sobre a cruz; rege-me em tudo, meu Jesus!